In Brazil – Being Local to become Global – Blog Action Day -Climate Change – Mudança Climática

To Talk about what ? The problem is so complex ….

Falar sobre o que… O problema é tão complexo…

I thought about what to write on this Blog Action Day and it was so difficult to choose a theme, not for the lack of it, but rather, because I see the Earth, Brazil, my home state, my city, my neighborhood, my street filled with problems and it’s as if we were all trapped in a real maze, whose fight for survival is at stake - my own, my family’s, my neighbors’ Rio de Janeiro’s inhabitants’, my whole state’s, in fact, the whole survival of Brazilian population as well as the world’s.

Pensei muito sobre o que escrever neste Blog Action Day e foi muito difícil escolher um tema, não por falta de tópico, mas por que vejo nossa Terra, o Brasil, meu estado, minha cidade, meu bairro, minha rua repletos de problemas e é como se estivéssemos num verdadeiro labirinto onde o que está em jogo é a a minha sobrevivência, a de minha família, do meu vizinho, dos habitantes de minha cidade, meu estado, meu país, todos os brasileiros, toda a população mundial.

Since this event is taking place in every corner of our planet, I believe that it would be more relevant if we talked about the problems we face in our surroundings. If each one thinks about solutions to improve our surroundings, together we’ll be able to solve this global nightmare – climate change.

Como este evento está acontecendo em todos os cantos do mundo, penso que seria mais relevante se falássemos mais sobre os problemas de meus arredores. Se cada um pensar em soluções para melhorarmos nossos arredores, todos juntos resolveremos este grande pesadelo global – a mudança climática.

In the Brazilian context, climate change is at the same time very real and frightening: we Brazilians used to say that God was ‘Brazilian’, since we never suffered from natural disasters before: there used to be no earthquakes, no tsunamis, no tornadoes, everything we planted here would grow since the soil was fertile… Well, I think God has got tired of the atrocities men have been inflicting upon nature and their own environment. The fact is that there have never been so many floods, tornadoes and droughts in Brazil as before. Some weeks ago, the states of Rio Grande do Sul and Santa Catarina suffered from terrible floods and hundreds of people had to leave their homes – some of them have lost them entirely and some others have lost their lives.

No contexto brasileiro, a mudança climática é ao mesmo tempo uma ameaça real e assustadora: nós brasileiros dizíamos que Deus era brasileiro pois aqui não sofríamos de catástrofes naturais: não havia terremoto, maremoto, furacão, tudo que plantávamos nascia, pois nosso solo era fértil…. Bem, acho que Deus se cansou das atrocidades que os homens têm feito com a natureza e seu habitat, pois nunca houve tantas enchentes, furacões, secas como atualmente no Brasil. Muito recentemente, os estados de Rio Grande do Sul e Santa Catarina sofreram terríveis enchentes e muitas pessoas tiveram de deixar seus lares – muitas não puderam mais voltar, pois perderam tudo. Outras perderam suas vidas.
In the northeast of Brazil, we have regions which are massacred by draughts and water is a luxury item. There are also people who have to walk kilometers in search of water, which is not always drinkable. We also witness Amazon being destroyed little by little due to many irresponsible fires and in many cases, criminal ones. Brazil is the fourth biggest carbon dioxide emissioner in the world and mostly due to those constant fires. Speaking of fires and deforestation in the Amazon region, I read a report in The New York Times about an offer that some environmental organizations made to farmers, which consists of their stopping with deforestation and in return they would be paid for not destroying the rainforest. In other words, they would have to stop planting soy beans for the sake of nature, for avoiding climate change imbalance.

No nordeste brasileiro, temos regiões sendo massacradas pela seca e a água é um artigo de luxo em muitas regiões. Há pessoas que caminham quilômetros em busca de água e que nem sempre é potável. Também presenciamos a Amazônia sendo destruída aos poucos com incêndios muitas vezes criminosos. Sabe-se que o Brasil é o quarto maior emissor de CO2 no mundo em grande parte por causa desses incêndios. Falando nisso, li uma reportagem no Jornal New York Times sobre a oferta que algumas organizações ambientalistas estão fazendo aos fazendeiros daquela região: eles lhes pagam que não devastem mais a floresta tropical e conseqüentemente não plantem mais soja, evitando assim mais desequilíbrio na questão climática.

When I think about this whole situation under a more local perspective, I see the city of Rio de Janeiro on one hand – beautiful and marvelous, but on the other, totally
left out by its local government with its bays and rivers totally polluted. We have Mata Atlântica or what is left of it – Mata Atlântica is known as the biggest urban forest in the world. However, in many parts of the city, what’s left of it is constantly threatened by the uncontrolled growth of Rio slums.

Quando penso sob o âmbito mais local, vejo minha cidade do Rio de Janeiro por um lado, linda e maravilhosa, por outro lado, desvalorizada pelo poder público, com suas baías e rios poluídos. Temos a Mata Atlântica ou o que restou dela, a maior floresta urbana do mundo e em muitas partes, o pouco que nos resta tem sido ameaçado pelo crescimento desordenado das favelas.

Given such threatening circumstances, what can we do to improve this vast and complex tropical country? To begin with, I’ve been trying to be more and more ‘green’ in my life. I also believe in the principle of the three R’s and I do try to apply them in my every day life: Reduce, Reuse and Recycle.

Diante de um quadro tão ameaçador, o que podemos fazer para melhorar esse vasto e complexo país tropical? Para começar, tenho tentado ser mais e mais ‘verde’ em minha vida. Também acredito no princípio dos três Rs (erres) e tento aplicá-los em meu dia-a-dia: Reduzir, reutilizar e reciclar.

For example, here in Rio de Janeiro there have been campaigns against the use of plastic bags in supermarkets and shops in general. I remember that in my childhood we would take canvas bags to do our shopping in the street markets. If we managed without plastic bags then, why not nowadays? We can surely use fabric tote bags again. The environment will thank us. On this site, there is a very interesting report about the disadvantages of using plastic bags for our environment. I think a lot about the garbage issue because this is a constant problem in our cities. Rio de Janeiro still lacks a serious recycling program as we see in many big cities around the world. Unfortunately, I see very few people in my city really aware of the necessity to recycle.

Por exemplo, aqui no Rio de Janeiro tem havido uma campanha para não usarmos mais aquelas sacolas plásticas dos supermercados e lojas em geral. Lembro-me de minha infância quando nós levávamos as bolsas de lona para as feiras. Se antes conseguíamos, por que não agora? Podemos voltar com as bolsas sim. O meio ambiente agradece. Nesta página, há uma matéria muito interessante sobre como a sacola plástica prejudica nosso meio-ambiente. Penso muito na questão do lixo, pois este problema persiste em nossas cidades. Ainda faltam incentivos para reciclagem no Rio de Janeiro como existem em muitas cidades pelo mundo afora. Infelizmente vejo ainda poucas pessoas na minha cidade conscientes dessa necessidade.

I confess I feel rather pessimistic at the moment, since I see horrible things taking place. Sometimes, I even think I’ve become a boring person to be around simply because I complain about all the wrong things I see. To give some practical examples: I think Rio de Janeiro is a dirty place and its population is mostly to blame. To illustrate what I mean, I am walking in my neighborhood and suddenly I see someone dispose of her litter on the ground! I feel really angry about this, mostly because the great majority of people who do this are adults. The other day, I couldn’t resist when I saw a teenager littering her candy wrapping paper. So I told her: ” Hey, you dropped your candy paper on the ground”. She looked at me a bit embarassed, collected her garbage and said: “Oh, I not even saw I had dropped it”…

Confesso que me sinto um tanto pessimista no momento, pois vejo tanta coisa horrível acontecendo ao meu redor. Às vezes até parece que estou me tornando uma pessoa chata, reclamando de tudo de errado que vejo, mas quero citar exemplos práticos: vejo minha cidade muito suja e a própria população tem grande parcela de culpa nessa questão. Por exemplo, estou caminhando pelo meu bairro e de repente vejo alguém jogar lixo no chão. Sinto raiva diante de tal atitude, principalmente por que vejo muito mais adultos jogando lixo no chão do que crianças. Um dia desses eu não resisti e quando vi uma adolescente jogar o papel de bala no chão, eu lhe disse: “Moça, o seu papel de bala caiu no chão”. Ela olhou meio sem graça, pegou o papel e disse: “Nem vi que ele caiu”. Mas eu sei que ela fez a calçada de lata de lixo mesmo.

Or, in another situation, I see someone throwing a soft drink can out of the window of a car in movement…. Could it be worse than this? The garbage men clean the streets of Rio de Janeiro several times a day and it’s as if they have never been swept…

Ou então, vejo um carro em movimento e de repente atiram uma lata pela janela…. Quer agressividade maior que essa? Contra o meio ambiente, contra nossa cidade, nossas ruas, contra nós mesmos? Os garis varrem as ruas do Rio de Janeiro várias vezes por dia e muitas vezes parece que elas nunca foram varridas.

Last week in my neighboorhood it rained a lot and it was incredible to realize that in some streets there were great puddles all of a sudden – simply because the storm drains were stuffed with – GARBAGE-
Semana passada em meu bairro choveu muito e foi impressionante perceber que em alguns lugares logo se criaram grandes poças de chuva – simplesmente por que os bueiros estavam todos entupidos (de lixo!)

When I was researching about this subject on the net, I came across a recent film release that has everything to do with what we are talking about on this Blog Action Day: The film is called The Age of Stupid. It criticizes human stupidity as far as climate change is concerned. Read this review about it and next, watch its trailer as well. It seems to be a movie to make us think about how stupid we’ve been for doing nothing to change this situation.
This is my participation on Blog Action Day 2009. Visit other participants here and here.

Ao pesquisar sobre esse assunto na internet, fiquei sabendo do recém-lançamento de um filme que tem tudo a ver com o que estamos falando hoje nessa blogagem: chama-se The Age of Stupid. O filme denuncia a estupidez humana nesta questão climática. Veja neste site aqui uma resenha sobre o mesmo e em seguida, veja o trailer. Parece ser um filme para nos fazer refletir sobre nossa estupidez em nada fazermos para mudar esta situação.

Esta é a minha participação nesta Blogagem sobre a mudança climática. Vejam outros participantes no site do Blog Action Day aqui e aqui.

The images were extracted from Google Images.
As imagens foram extraídas de Google Imagens.

Bookmark and Share
Related Posts with Thumbnails

Esse texto foi postado em quinta-feira, 15 de outubro de 2009 às 01:00 nas categorias 3 Rs, Blog Action Day 2009, Blogagem Coletiva, Brasil, Climate Change, Garbage, Lixo, Mudança Climática, Rio de Janeiro. Você pode seguir as respostas pelo RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou trackback do teu próprio site.

2 Comentários para “In Brazil – Being Local to become Global – Blog Action Day -Climate Change – Mudança Climática”

  1. Georgia escreveu:

    É minha querida nao é mole nao. Somente Deus para nos ajudar.

    Uma bela postagem Sonia.

    Bjus

  2. Bete escreveu:

    O retrato de nossa realidade.
    Tristeza e desolação.
    Bjs querida

Deixe um comentário



XHTML: Você pode usar esses códigos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Pode demorar um pouco para mostrar o comentário. Não será preciso postar de novo.