Viva Santo Antônio!

A VIDA DE SANTO ANTÔNIO

Fernando de Bulhões (verdadeiro nome de Santo Antônio), nasceu em Lisboa em 15 de agosto de 1195, numa família de posses. Aos 15 anos entrou para um convento agostiniano, primeiro em Lisboa e depois em Coimbra, onde provavelmente se ordenou. Em 1220 trocou o nome para Antônio e ingressou na Ordem Franciscana, na esperança de, a exemplo dos mártires, pregar aos sarracenos no Marrocos. Após um ano de catequese nesse país, teve de deixá-lo devido a uma enfermidade e seguiu para a Itália. Indicado professor de teologia pelo próprio são Francisco de Assis, lecionou nas universidades de Bolonha, Toulouse, Montpellier, Puy-en-Velay e Pádua, adquirindo grande renome como orador sacro no sul da França e na Itália. Ficaram célebres os sermões que proferiu em Forli, Provença, Languedoc e Paris. Em todos esses lugares suas prédicas encontravam forte eco popular, pois lhe eram atribuídos feitos prodigiosos, o que contribuía para o crescimento de sua fama de santidade.
A saúde sempre precária levou-o a recolher-se ao convento de Arcella, perto de Pádua, onde escreveu uma série de sermões para domingos e dias santificados, alguns dos quais seriam reunidos e publicados entre 1895 e 1913. Dentro da Ordem Franciscana, Antônio liderou um grupo que se insurgiu contra os abrandamentos introduzidos na regra pelo superior Elias.
Após uma crise de hidropisia (Acúmulo patológico de líquido seroso no tecido celular ou em cavidades do corpo). Antônio morreu a caminho de Pádua em 13 de junho de 1231. Foi canonizado em 13 de maio de 1232 (apenas 11 meses depois de sua morte) pelo papa Gregório IX.
A profundidade dos textos doutrinários de santo Antônio fez com que em 1946 o papa Pio XII o declarasse doutor da igreja. No
entanto, o monge franciscano conhecido como santo Antônio de Pádua ou de Lisboa tem sido, ao longo dos séculos, objeto de grande devoção popular.
Sua veneração é muito difundida nos países latinos, principalmente em Portugal e no Brasil. Padroeiro dos pobres e casamenteiro, é invocado também para o encontro de objetos perdidos. Sobre seu túmulo, em Pádua, foi construída a basílica a ele dedicada.
fonte:http://wagsantos.sites.uol.com.br/personalidades/index.html

Sempre foi tradição na minha família freqüentarmos o Convento de Santo Antônio, no Largo da Carioca, RJ. As festas no dia 13 são sempre muito concorridas, há missas de hora em hora. Quem não é do Rio de Janeiro, vale a pena conhecer este lugar maravilhoso. No mês de maio, eu destaquei a beleza do Convento na arquitetura do Centro do Rio de Janeiro. Este ano é inclusive muito especial pois o Convento está completando 400 anos! E como parte das comemorações, a cidade recebeu da Itália as relíquias de Santo Antônio: “São três pequenas partes autenticadas do corpo de Santo Antônio que vieram da Basílica de Pádua, na Itália”, reporta o Jornal O Globo.
Eu e minha mãe visitamos o Convento ontem. Estava lotado e as orações foram feitas num palco construído nos jardins dos arredores do Convento. Participamos do 12o dia da trezena.

fonte imagem:http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,MUL585267-5606,00.html

Crendice Popular

Santo Antônio de Lisboa é considerado um santo casamenteiro; segundo a lenda, era um excelente conciliador de casais.

No Brasil, muitas moças afoitas por encontrar um marido costumavam retirar o bebê dos braços das estátuas do santo, prometendo devolvê-lo depois de alcançarem o seu pedido. Por esse motivo, alguns párocos mandavam fazer a estátua do santo com o Menino Jesus preso ao corpo do santo, evitando assim o seu sequestro.

Outras jovens colocam a imagem de cabeça para baixo, dizem que só a mudariam de posição quando Santo Antônio lhes arranjasse marido. Estes rituais são geralmente feitos na madrugada do dia 13 de Junho.

Numa outra cerimônia, conhecida como trezena (por ter a duração de treze dias), os fiéis entoam cânticos, soltam fogos, e celebram comes e bebes junto a uma fogueira com o formato de um quadrado. Essa festa acontece entre 1 e 13 de junho – é a famosa festa de Santo Antônio.

Ainda há um outro costume que é muito praticado pela Igreja e pelos fiéis. Todo o dia 13 de Junho, as igrejas distribuem aos pobres os famosos pãezinhos de Santo Antônio. A tradição diz que esse alimento deve ser guardado dentro de uma lata de mantimento, como garantia de que não faltará comida durante todo o ano. Há quem diga que o pão não mofa, mantendo-se íntegro pelo período de um ano.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Santo_Ant%C3%B4nio_de_Lisboa


Bookmark and Share
Related Posts with Thumbnails

Esse texto foi postado em sexta-feira, 13 de junho de 2008 às 01:00 nas categorias Religiosidade, Santo Antônio. Você pode seguir as respostas pelo RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou trackback do teu próprio site.

Um comentário para “Viva Santo Antônio!”

  1. Lilás escreveu:

    Oi, Sonia!
    Ent�o, nos achamos. Que bom, pois eu tamb�m gostei muito do seu blog e serei visita frequente.
    Amo festas juninas e quando estou l� na serra, fico catando onde tem alguma.
    Lembro-me das festas do meu tempo de crian�a como eram boas e bonitas e vejo que ainda hoje, tentam n�o deixar apagar aquele brilho, mas � muito diferente.
    Viva S.Antonio, S.Pedro e s.jO�O!
    Beijinhos ararib�ias

Deixe um comentário



XHTML: Você pode usar esses códigos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Pode demorar um pouco para mostrar o comentário. Não será preciso postar de novo.