E por falar em Tom Jobim….


Um ótima dica para quem gosta de Tom Jobim:

Foi lançado recentemente um dvd sobre o Tom. Idealizado, dirigido e narrado por sua esposa, Ana Jobim, o filme é uma viagem pelo dia-a-dia de Tom Jobim. Ana compilou imagens M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A-S com os filhos, amigos, nas suas três casas e nos ensaios que pareciam verdadeiros saraus. Quem muito admira a música de Tom Jobim, com certeza vai amar este filme. Os extras são muito bons também: tem Dorival Caymmi e filhos cantando com ele ao redor do piano, enquanto as crianças brincam pela sala. O Tom lê um poema do Pablo Neruda, ‘Ode a Rio de Janeiro’ também muito bonito. A embalagem já é uma obra de arte, e ainda contém um livrinho com desenhos do Tom e fotografias tiradas pela Ana. Lindo, gente!

P.S. Acho que já deu para perceber que eu adoro a música do Tom Jobim, né? :-) Tem alguém aí também super apaixonado pela música dele?

Segue a apresentação do dvd + livro da Gravadora Biscoito Fino
(http://www.biscoitofino.com.br)

A CASA DO TOM – MUNDO, MONDE, MONDO

Filme de Ana Jobim conta a história de amor de Antonio Carlos Jobim com
a música, a família e a natureza.

“Esse negócio de entender de uma coisa, tem que amar. Quando você ama, isso cria uma capacidade. Você se interessa pela coisa, você começa a olhar”. A frase de Tom Jobim foi tão bem entendida por Ana, sua mulher durante 17 anos, que ela lança agora um DVD, pela Jobim Biscoito Fino, com sua história de amor com o maestro, com a família e com a natureza que aprendeu a ver pelos olhos de Tom e tão bem registrou em fotos, publicadas em diversos livros sobre o compositor. A inspiração para este DVD veio do Ensaio Poético, livro que lançou em parceria com o marido em 1987 na Casa de Cultura Laura Alvim. Na época, Ana pensou em fazer um vídeo com Tom que pudesse ser exibido em diversos monitores enquanto durasse a exposição de fotografias do livro. Chamou o primo documentarista Luiz Eduardo Lerina, contratou uma equipe composta por cinegrafista e sonoplasta, e saiu em campo documentando o marido na intimidade. Tudo feito de maneira muito livre, como ela faz questão de dizer. Tom abordava os temas que tinha vontade no momento e ela seguia sua intuição, filmando-o na casa que estavam construindo no Jardim Botânico, no Rio, no sítio da família em Poço Fundo, na serra fluminense e em Nova York. O material resultou em oito horas de gravação. Guardado há exatos 20 anos, de vez em quando Ana se via às voltas com o pedido de alguma televisão que desejava exibir uma imagem ou trechos do trabalho. Ela sentiu que os empréstimos poderiam acabar com o ineditismo e a intimidade dos filmes: “Começamos a ficar meio ciumentos, porque se fosse fragmentado perderia o sentido”. Decidiu então que iria preservar toda a documentação para a hora certa. Não deve ter sido fácil mergulhar nesta memória com passagens muitos dolorosas. Mas ela conseguiu, de certo modo, fazer uma catarse e está feliz com o resultado. Além de lindo, o DVD é emocionante. Narrado pela própria Ana Jobim, tem como fio condutor o poema Chapadão, que Tom começou a escrever quando escolheram o terreno no alto do Jardim Botânico para construírem sua casa: “A casa levou quatro anos para ficar pronta e o poema, oito”, conta ela no DVD.

VOU FAZER A MINHA CASA
NO ALTO DO CHAPADÃO
VOU LEVAR O MEU PIANO
QUE FICOU NO CANECÃO.

VOU FAZER A MINHA CASA
NO ALTO DO CHAPADÃO
VOU LEVAR A DON´ANINHA
PRA ME DAR INSPIRAÇÃO

VOU FAZER A MINHA CASA
NO ALTO DE UMA QUIMERA
VOU CRIAR UM MUNDO NOVO
INVENTAR NOVA MEGERA…

O poema vai intercalando falas, fotos em P&B e cor, filmes caseiros, filmes profissionais, uma grande entrevista com Tom feita por Ana e histórias saborosas de uma intimidade de amor: “No dia da mudança para o alto do Jardim Botânico”, conta Ana, “a única preocupação de Tom era o piano. Ele mesmo ligou para a transportadora, tomou conta de cada passo, desde a saída da casa antiga, à chegada na casa nova, até a posição do piano na sala”. As locações mudam. Tom pode estar no apartamento de Nova York ao piano e abandonar o teclado para carregar a filha Maria Luiza, ainda um bebê, ou brincando com o filho João Francisco no Central Park ou nos jardins de Poço Fundo. Ou conversando com Narciso, um empregado do sítio, que lembrava os personagens fantasiosos de Guimarães Rosa que Tom tanto amava: “Seu Tom, senhor acredita que eu meti tanta bordoada no lobisomem, que o lobisomem só olhava pra mim com a cara redonda, a orelhazinha curta e todo rupiado. Falei: vai me pegar…”. Esta conversa acontece debaixo de uma mangueira e Tom não perde a oportunidade de exercer seu fino humor: “Você vê: essa mangueira aqui, por exemplo, não dá manga, mas dá água…Isso na verdade, isso não é uma mangueira, isso é o pessoal de Hollywood que veio me filmar…são os cabos da CBS, da NBC”. Musicalmente, A Casa de Tom – Mundo, Monde, Mondo também é intimista. Tema para Ana, a primeira faixa, é executada por Ryuichi Sakamoto e Jaques Morelembaum, numa gravação feita na própria casa de Ana e Tom. Sakamoto tinha loucura para conhecer o piano do maestro. Ana emprestou a casa – Tom havia morrido oito anos antes – e os dois músicos acabaram gravando todo um CD no piano encantado. Mas Ana guardou uma preciosidade. O próprio Tom interpretando Tema para Ana, que ele nunca gravou comercialmente e ela tinha guardado num gravador caseiro. Ao todo são 24 músicas, algumas com participações (Dorival Caymmi, Chico Buarque, Maucha Adnet, a própria Ana Jobim, Danilo Caymmi, Paulo Jobim e a pequena Maria Luiza, acompanhando o pai em Samba de Maria Luiza, além da célebre gravação de Garota de Ipanema com arranjo de Eumir Deodato e participação de Jerry Doggion (sax-alto), Ron Carter (baixo), Joe Farrel (flauta) acompanhando o piano de Tom. Nos extras, mais seis canções e dois poemas. Além de Águas de Março, uma verdadeira homenagem a Dorival Caymmi (Maracangalha, Saudades da Bahia, Suíte do Pescador e Maricotinha), uma lembrança de Bororó (Curare) e os poemas Chapadão e Oda a Rio de Janeiro, de Pablo Neruda. E voltando àquela história “esse negócio de entender de uma coisa, tem que amar”, Ana Jobim dedicou o trabalho aos dois filhos, João Francisco e Maria Luiza, sem esquecer de citar os dois mais velhos, de Tom com Tereza, Paulo e Elizabeth. A Casa do Tom é, principalmente, um resgate do pai para Maria Luiza, que tinha apenas sete anos quando ele morreu. (Maria Lucia Rangel)


Faixas
01 Tema para Ana (Antonio Carlos Jobim) 1m35s
02 Estrada do Sol (Antonio Carlos Jobim / Dolores Duran) 2m07s
03 O Boto (Antonio Carlos Jobim / Jararaca) 1m01s
04 Piano na Mangueira (Antonio Carlos Jobim / Chico Buarque) 0m34s
05 Chansong (Antonio Carlos Jobim) 2m38s
06 Dindi (Antonio Carlos Jobim / Aloysio de Oliveira) 0m54s
07 Meu Amigo Radamés (Antonio Carlos Jobim) 1m01s
08 Double Rainbow – Chovendo no Roseira (Antonio Carlos Jobim) 1m39s
09 Valse – versão instrumental (Paulo Jobim) 1m22s
10 O Boto – somente trecho de berimbau (Antonio Carlos Jobim / Jararaca) 1m23s
11 Garota de Ipanema (Antonio Carlos Jobim / Vinicius de Moraes) 1m22s
12 Correnteza (Antonio Carlos Jobim / Luiz Bonfá)
13 Saudade do Brasil (Antonio Carlos Jobim) 1m18s
14 Meu Amigo Radamés (Antonio Carlos Jobim)
15 Imagina (Tom Jobim e Chico Buarque)
16 Maracangalha (Dorival Caymmi)
17 Milagre (Dorival Caymmi)
18 Saudade da Bahia (Dorival Caymmi)
19 Suite do Pescador (Dorival Caymmi)
20 Bim Bom (João Gilberto)
21 Passarim (Antonio Carlos Jobim) 1m35s
22 Samba de Maria Luiza (Antonio Carlos Jobim) 0m54s
23 Tema para Ana (Antonio Carlos Jobim)
24 Falando de amor (Tom Jobim)

25 Águas de Março – Música da tela de menu (Antonio Carlos Jobim)
26 Maracangalha (Dorival Caymmi) 4m59s
27 Saudades da Bahia (Dorival Caymmi) 3m00s
28 Suite do Pescador – pout-pourri (Dorival Caymmi) 4m10s
29 Maricotinha (Dorival Caymmi) 4n04s
30 Chapadão – Poema (Antonio Carlos Jobim) 10m14s
31 Oda a Rio de Janeiro – Poema (Pablo Neruda) 4m43s
32 Curare (Bororó) 1m33s
• Extras
25 Águas de Março – Música da tela de menu (Antonio Carlos Jobim)
26 Maracangalha (Dorival Caymmi) 4m59s
27 Saudades da Bahia (Dorival Caymmi) 3m00s
28 Suite do Pescador – pout-pourri (Dorival Caymmi) 4m10s
29 Maricotinha (Dorival Caymmi) 4n04s
30 Chapadão – Poema (Antonio Carlos Jobim) 10m14s
31 Oda a Rio de Janeiro – Poema (Pablo Neruda) 4m43s
32 Curare (Bororó) 1m33s


Ficha Técnica


UMA REALIZAÇÃO BISCOITO FINO
Direção Geral: Kati Almeida Braga
Direção Artística: Olivia Hime
Direção: Ana Jobim
Gerência de Produção: Joana Hime / Patricia Lima
Assistente de Produção: Isabel Zagury / Fernando Temporão
Bookmark and Share
Related Posts with Thumbnails

Esse texto foi postado em sábado, 1 de março de 2008 às 13:00 nas categorias Filme, Tom Jobim, música. Você pode seguir as respostas pelo RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou trackback do teu próprio site.

9 Comentários para “E por falar em Tom Jobim….”

  1. Meire escreveu:

    Tb adoro Jobim, vou colocar este filme na minha lista de desejos, nao proxima a ida a terrinha trago comigo.
    Bjs

  2. evipensieri escreveu:

    Eu adoro Tom Jobim.

    Bjs.
    Elvira

  3. Lino escreveu:

    Uma ótima dica. Como sou fã, vou procurar o DVD.
    Obrigado pela indicação

  4. Cristiane Fetter escreveu:

    Se tem, o meu marido é LOUCO pelas músicas dele.
    Tem todos os song books, livros e tal.
    Quando eu for ao Rio será uma das minhas primeiras compras para presenteá-lo.
    Beijocas

  5. Blog do Beagle escreveu:

    Sim, eu quero! Bjkª. Elza

  6. universodesconexo escreveu:

    Ah Sonia… nao acredito que vou perder essa. Eu adoro o Tom Jobim ! Vou ver se quando o Edu for para o Brasil prestar o concurso ele compra para mim.

    Beijos e otima dica !
    Lys

  7. Deny escreveu:

    Adorooooooooooooo tommm, e vou procurar este dvd pra comprar….
    ótima dica!
    e obrigada pelo seu apoio lá no meu blog, bjs

  8. Meire escreveu:

    Viemos aqui para lembrar voce que amanha eh dia de nossa coletiva pela
    valorizacao da mulher brasileira ! Ja contamos com cerca de 200
    pessoas que assim como voce abracaram com carinho essa linda campanha
    pelas mulheres. Amanha eh dia de luta na blogosfera e contamos com seu
    apoio.

    Se ainda esta sem ideias para seu post, busque inspiracao em nossos
    blogs pois la voce encontrara varias ideias de abordagem. Se ainda nao
    for suficiente nos escreva que podemos lhe ajudar sem duvida.

    Um forte abraco e amanha fique certo que nos e mais um monte de
    pessoas estaremos aqui para ler o que voce tem para nos contar !

    Meire – http://meiroca.com/2008/02/05/pela-vlorizacao-da-mulher-brasileira/
    Lys – http://universodesconexo.wordpress.com/coletiva-pelas-mulheres/

  9. Alessandra escreveu:

    Adoro o Tom Jobim e fico me lembrando do dvd do Chico buarque onde ele diz que sente falta das conversas com o maestro.

    Esse dvd deve ser lindo.

    Que dica maravilhosa.

    Um ótimo fim de semana.

    Beijos

    Alê

Deixe um comentário



XHTML: Você pode usar esses códigos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Pode demorar um pouco para mostrar o comentário. Não será preciso postar de novo.